As principais mudanças sentidas nos Estados Unidos em relação à época que morei lá, em 2003, foram:

1)     Os preços. 7 anos atrás tudo era muito mais barato se comparado ao Brasil. Hoje em dia tem que pensar se vale a pena. Eletrônicos em geral ainda são bem mais baratos. Mas lembro que itens básicos, como de supermercado eram bem mais em conta. Não sei se foi o Brasil que barateou ou lá que encareceu, mas muitas coisas andam sem diferença de preços significativa.

2)     Os Estados Unidos são praticamente um país bilíngüe! Tudo está escrito em espanhol também. Os produtos todos. Muita sinalização também e há propagandas só em espanhol. É possível passar todo um dia sem falar uma palavra de inglês! E muita gente que mora lá há anos não sabe mais que 10 palavras básicas neste idioma, conseguindo se comunicar totalmente no seu idioma materno.

Agora ainda é um país consumista. Em cidades menores, muitas vezes o único programa é ir nos shooping centers e ver lojas. Lojas enormes, de departamento ou específicas, nas quais você pode passar um dia inteiro (inclusive porque têm o que comer) sem nem notar. Os preços são convidativos e é fácil voltar pra casa com produtos que depois você se pergunta: para que comprei isso?

A facilidade de devolução também contribui com o consumismo. Muita gente compra, para depois pensar se quer o produto. Se não quiser, pode devolver em uma semana recebendo o dinheiro de volta, sem ninguém criar caso ou ao menos te perguntar o porquê.

Existem umas lojas que meu cunhado chama de caça ao tesouro: o que não vendeu em outras lojas vai para estas a preços bem mais em conta. Não existem opções de cor ou tamanho, porque em geral são o resto. Tem que dar sorte. E muitas vezes você é perseguido por alguém que quer o que você pegou e fica esperando para ver se você não desiste de comprar…